Rotatória Central de Tangará da Serra
Voltar

Iniciadas obras de transposição de água do Rio Russo para represa da ETA Queima-pé

Máquinas da Prefeitura Municipal começaram na manhã desta quarta-feira, dia 21/07, os serviços para captação e transposição de água do Rio Russo para a represa da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Rio Queima-pé. Os trabalhos seguirão pelas próximas duas semanas e a previsão é de que no máximo em 15 dias os equipamentos […]

Publicado em 21/07/2021

Máquinas da Prefeitura Municipal começaram na manhã desta quarta-feira, dia 21/07, os serviços para captação e transposição de água do Rio Russo para a represa da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Rio Queima-pé. Os trabalhos seguirão pelas próximas duas semanas e a previsão é de que no máximo em 15 dias os equipamentos estejam em funcionamento.

O prefeito municipal, Vander Masson, o diretor do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), Heliton Luiz de Oliveira, e o secretário de Infraestrutura, Marcos Scolari, fizeram uma visita in loco na represa onde será instalada uma motobomba que fará a captação da água do Russo, a qual será canalizada por 2.700 metros, passando por dentro de fazendas, até a cabeceira do córrego Uberabinha, posteriormente abastecendo a represa Sitna, já na ETA Queima-pé.

MEDIDAS COM ANTECEDÊNCIA

O prefeito Vander Masson explica que o Município está tomando medidas com antecedência, para evitar o máximo possível de impacto à população. Primeiro, o Município baixou um decreto declarando situação de emergência, chamando a atenção da população para a necessidade de economizar água e facilitando a aplicação de medidas urgentes para minimizar a situação.

“No nosso entendimento, essas medidas têm que ser tomadas agora e não deixar chegar em uma fase grave, uma fase crítica para buscar solução para um problema que a gente já sabe que vai acontecer. Estamos vivendo uma estiagem severa, choveu apenas 60% do que choveu na estação chuvosa passada, de 2019 para 2020, então, se em 2020 tivemos uma crise hídrica, esse ano será ainda pior, em virtude do baixo índice pluviométrico”, previu o prefeito.

TUBOS PRÓPRIOS

De acordo com chefe do Executivo, os tubos utilizados na transposição são próprios do Samae, porém, manilhas também estão sendo adquiridas para completar a canalização da água. “Estamos utilizando canos próprios do Samae para levar a água por um trecho, por bombeamento, no restante do trajeto serão usadas manilhas de 40 centímetros de diâmetro, que estamos adquirindo aqui mesmo na cidade, nesse trecho a água vai por gravidade até chegar no Uberabinha e posteriormente na ETA”, disse o prefeito.

Inicialmente havia o plano de tomar emprestada a tubulação de usinas de álcool da região, porém, a estiagem forçou o setor a utilizar seus equipamentos para minimizar os impactos da falta de chuva em suas plantações.

TRAJETO

Heliton explica que neste ano, a captação de água do Rio Russo, além de começar com antecedência, será feita de maneira diferente do ano passado. Os tubos serão subterrâneos e o sistema será implantado em linha reta. “Vamos fazer essa captação de uma forma diferenciada, com a tubulação enterrada. Já iniciamos a limpeza da represa, na parte de assoreamento. A partir de amanhã [quinta-feira] a gente já começa a fazer as valas para colocar a tubulação. São aproximadamente 2.700 metros de forma linear, em linha reta, passando pela fazenda Colorado e a propriedade do senhor Levir Delcaro até a cabeceira do Uberabinha”, disse, agradecendo aos proprietários das fazendas.

DEMAIS REPRESAS

O diretor do Samae relata ainda que a transposição de água do Rio Russo trará mais segurança ao abastecimento da cidade, uma vez que está começando mais cedo e deixando as represas a montante com água reservada para ser utilizada no futuro. “Vamos utilizar nesse primeiro momento a captação de água do Russo, deixando de usar os nossos reservatórios, que ficarão à disposição para serem utilizados na parte final da crise hídrica que estamos vivendo”, explicou.

ECONOMIZAR PARA NÃO FALTAR

O prefeito Vander Masson pede compreensão e apoio da população, pois essa é uma medida a curto prazo, emergencial, para evitar o desabastecimento da população enquanto a solução definitiva é legalizada para ser implantada. “Precisamos todos nós nos conscientizarmos. Temos que economizar para não faltar. É importante que a população faça sua parte, não lavando calçadas e veículos com mangueira, precisamos mudar a rotina em casa para gastar menos água”, disse.

Alexandre Rolim/Assessoria de Comunicação

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Departamento de Informática

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support